O Canhoto

O blogue Canhoto foi criado em maio de 2005, como espaço de intervenção social e política no campo do socialismo democrático. A sua equipa permanente era composta por António Dornelas, Paulo Pedroso e Rui Pena Pires, tendo ainda contado com várias colaborações ao longo de um período que se prolongou até novembro de 2009. Seria definitivamente encerrado a 2 de janeiro de 2013 com um poste de despedida: “Adeus António”. Esta primeira edição pode ser acedida através da barra de navegação no botão O OUTRO CANHOTO. Entre 2005 e 2009, foram publicados mais de 1500 postes de opinião, que muitas vezes incluíam o tratamento e comentário de dados estatísticos, bem como a recensão de livros, artigos ou relatórios. Durante esse período, o blogue teve mais de 160 mil visitas.

Reabrimos hoje o Canhoto num novo endereço, sem o António mas com o mesmo programa de intervenção social e política. Agora com mais recursos tecnológicos que nos permitirão organizar melhor o blogue e associar a este a produção de um PODCAST, desde o início, bem como de WEBINARS, muito brevemente. Divulgamos também, na secção FORA DO CANHOTO, as nossas intervenções noutros canais comunicacionais. Queremos continuar a contribuir para o debate político em Portugal defendendo sem restrições as causas do socialismo democrático.

Lisboa, 1 de julho de 2020
Paulo Pedroso e Rui Pena Pires


Paulo Pedroso. Sociólogo. É, atualmente, professor de Políticas Públicas no Iscte, Instituto Universitário de Lisboa. Foi membro do Conselho de Administração do Banco Mundial em representação de Portugal (2018-2020) e membro do Governo da República Portuguesa entre 1997 e 2002, primeiro como Secretário de Estado do Emprego (1997-2001) e depois como Ministro do Trabalho e da Solidariedade (2001-2002). Foi deputado à Assembleia da República. Exerceu atividade de consultoria e assistência técnica nas áreas da gestão de fundos europeus (Bulgária, Portugal, Roménia e Turquia) e das políticas de emprego e segurança social (Angola, Bulgária, Portugal, Roménia, Timor-Leste e Turquia). Foi responsável por avaliações de políticas públicas em Portugal, São Tomé e Principe e Turquia. É autor de várias publicações e tem intervenção regular em diversos órgãos de comunicação social. É comentador do programa semanal da TSF A Espantosa Realidade das Coisas.

Rui Pena Pires. Sociólogo. É, atualmente, professor no Iscte, Instituto Universitário de Lisboa, investigador no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES) e coordenador científico do Observatório da Emigração. Foi diretor do Departamento de Sociologia e Pró-Reitor do Iscte. Entre 2006 e 2010 integrou o Conselho de Administração do Observatório Europeu do Racismo e da Xenofobia e da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia, em Viena. Foi diretor editorial da Celta Editora entre 1992 e 2009, período durante o qual foi responsável pela publicação de 354 títulos de livros e seis revistas científicas, quase exclusivamente no domínio das ciências sociais. Tem como domínios de especialização as teorias sociológicas, as migrações internacionais e a sociologia do desenvolvimento. É autor de várias publicações nestes domínios, bem como de textos e comentários de opinião em diversos órgãos de comunicação social.